Um mouse e a biomecânica do nosso corpo

Pegue tudo o que você conhece sobre mouses de computador e deixe de lado para conhecer este projeto chamado Cone, do designer Inyeop Baek.

Muitos dirão: “Nossa… que estranho, nada a ver, prefiro o meu mouse”, para vamos parar um pouco para pensar um pouco na premissa de forma e função e analisar um pouco o projeto, depois vamos discutir a estética dele.

Muita gente esquece que em design de produto, principalmente os projetos com foco no ser humano, precisamos pensar em coisas que não são muito comuns a todos. Biomecânica, Ergonomia e Anatomia são alguns dos assuntos relacionados. Vamos analisar um pouco a anatomia e biomecânica do nosso movimento de braço, para entender um pouco nossa relação com mouses. Quando analisamos o corpo humano, devemos sempre pensar na posição de descanso, que seria com os braços esticados para baixo com as palmas das mãos viradas para o nosso corpo, esta é a posição de menos estresse motor e físico de nossos braços. Quando apoiamos nossos braços na mesa temos alguns pontos de estresse, principalmente se a mesa não estiver numa altura adequada. Normalmente apoiamos as mãos no sentido Pronado e isso é muito levado em conta na maioria dos projetos de mouses que conhecemos, mas nem vamos levar em consideração o movimento dos pulsos e dobra do nosso cotovelo, apenas na torção do nosso antebraço ok?

Abaixo você pode conferir o que é o posicionamento Supinado (A) e Pronado (B) e uma breve explicação de ambos (galera fitness pira).

O problema é que nosso antebraço é composto de dois ossos importantes que trabalham em conjunto, o Rádio e a Ulna. Atentem que quando fazemos um movimento para a posição Pronada, temos uma torção destes ossos causando um estresse físico no conjunto, o que não é um problema se passarmos pouco tempo assim, mas muitos mouses forçam nossos antebraços a ficar horas nessa posição, o que pode sim trazer problemas como incômodo, dores e até mesmo uma doença mais crônica.

O mouse projetado pelo Baek, mantém uma pose de menos estresse no antebraço e pode trazer um pouco mais de conforto para quem usa muito o mouse durante o dia. Claro que a forma também influencia e pode transferir o estresse para outros pontos, como a mão, por exemplo, mas o objetivo aqui era tentar trazer um pouco do pensamento fisiológico para um objeto tão comum em nosso dia-a-dia, mas que um projeto dele pode muitas vezes causar estranheza pela forma.

Dito tudo isso, o projeto é bem bacana, não sei se o cone é a melhor forma para a “pega” do objeto, mas acredito que é mais uma questão de se acostumar. Abaixo um pouco mais do projeto e boa golada inspiradora!

Comentários

comments

Compartilhe

Sobre o autor

Designer apaixonado pelo que faz, fundador e editor do DESIGN on the ROCKS. Brasileiro, natural de Jacareí - SP. Atualmente trabalha como Freelancer de gráfico e produto.

Veja todos os artigos deDomenico Justo